Qual a relação entre o celular e o olho seco?

Por Dr. Evandro Araújo

Com o avanço da tecnologia e a popularização de dispositivos eletrônicos, como smartphones, tablets e computadores, o uso desses aparelhos tornou-se uma parte essencial do dia a dia de muitas pessoas. No entanto, esse uso constante tem levantado preocupações sobre a saúde ocular, especialmente no que diz respeito ao desenvolvimento da Síndrome do Olho Seco.

O que é a Síndrome do Olho Seco?

A Síndrome do Olho Seco é uma condição que ocorre quando os olhos não produzem lágrimas suficientes ou quando a qualidade das lágrimas é inadequada, resultando em sintomas de irritação, ardor, sensação de corpo estranho e até mesmo visão turva. As lágrimas são essenciais para manter a superfície do olho lubrificada, saudável e livre de partículas e microrganismos.

Como o uso de celular/dispositivos eletrônicos afeta os olhos?

1. Diminuição da frequência de piscar:
Quando estamos concentrados em uma tela, a tendência é piscar menos vezes por minuto. Normalmente, uma pessoa pisca cerca de 15 a 20 vezes por minuto, mas esse número pode cair para 5 a 7 vezes quando estamos olhando para um dispositivo eletrônico. Piscar menos resulta em menos distribuição de lágrimas sobre a superfície ocular, contribuindo para o ressecamento.

2. Exposição prolongada à luz azul:
A luz azul emitida por telas digitais pode causar cansaço ocular e exacerbar os sintomas de olho seco. Embora não haja consenso sobre os efeitos a longo prazo da luz azul, sabe-se que ela pode contribuir para a fadiga ocular e desconforto.

3. Ambiente de trabalho:
Muitas vezes, o uso de dispositivos eletrônicos ocorre em ambientes com ar condicionado ou aquecimento, que podem reduzir a umidade do ar. Esses fatores ambientais também contribuem para a evaporação das lágrimas e o aumento da sensação de olho seco.

VEJA TAMBÉM: Ler no ônibus causa deslocamento de retina?

Sintomas comuns de Olho Seco relacionados ao uso de dispositivos:

– Ardor ou queimação nos olhos

– Sensação de areia ou corpo estranho

– Vermelhidão

– Cansaço ocular

– Visão embaçada

– Dificuldade para usar lentes de contato

Medidas preventivas e tratamentos

1. Fazer pausas regulares:
Adotar a regra 20-20-20 pode ser muito útil. A cada 20 minutos, desvie o olhar da tela por 20 segundos e fixe em algo que esteja a 20 pés (aproximadamente 6 metros) de distância.

2. Ajustar a configuração da tela:
Certifique-se de que a tela está a uma distância confortável (cerca de 50-70 cm) e ligeiramente abaixo do nível dos olhos. Ajustar o brilho e o contraste para níveis confortáveis também pode ajudar a reduzir a fadiga ocular.

3. Manter-se hidratado e usar umidificadores: Beber bastante água e usar um umidificador no ambiente de trabalho pode ajudar a manter a umidade ocular adequada.

4. Usar colírios lubrificantes:
Pode aliviar os sintomas de olho seco. O oftalmologista poderá selecionar o colírio mais adequado pra cada caso. 

5. Consultas regulares ao oftalmologista:
É fundamental fazer check-ups regulares com um oftalmologista para monitorar a saúde ocular e obter orientações personalizadas.

Fique atento aos seus olhos

O uso crescente de dispositivos eletrônicos é uma realidade que dificilmente mudará. No entanto, estar ciente dos riscos associados ao olho seco e adotar práticas preventivas pode ajudar a minimizar os impactos negativos na saúde ocular. Manter uma rotina de cuidados com os olhos e realizar consultas regulares ao oftalmologista são passos essenciais para preservar a visão e garantir o conforto ocular em meio à era digital.


Dr. Evandro Araújo é oftalmogista geral e especialista em baixa visão e córnea.